Conheça 4 maneiras de melhorar a análise de investimento do seu negócio

Redação
Redação
em 27/05/2021
Redação
Redação
em 27/05/2021
...

Quando uma empresa deseja fazer um investimento com o objetivo de melhorar o desempenho da empresa, seja ele em inovações tecnológicas, novos equipamentos, ou até mesmo entrada em novos mercados, três questões são essenciais para orientar sua tomada de decisão:

  1. O investimento vai se pagar?
  2. O investimento vai aumentar o capital aplicado ou vai diminuí-lo?
  3. Esta é a melhor alternativa de investimento?

Tais respostas são obtidas por meio de um processo chamado Análise de Investimentos. Esse processo consiste em avaliar a aplicação de recursos, as condições que o antecederam e seus resultados posteriores, com o objetivo de proporcionar melhores rendimentos e maior segurança nas aplicações.

Além disso, o uso desse método permite identificar qual investimento é mais favorável à organização, identificando qual iniciativa possui mais potencial de rentabilidade para o negócio, dando um norte para os próximos passos da empresa.

Por isso, elaboramos esse post para você compreender o processo de análise de investimentos e aprenda a tomar decisões que torne sua empresa cada dia mais lucrativa.

O que é uma análise de investimentos?

Como já falamos anteriormente, a análise de investimentos consiste na aplicação de técnicas financeiras e contábeis com o objetivo de identificar a viabilidade da aplicação de capital para uma empresa em determinado projeto.

Essa análise leva em conta os riscos envolvidos no projeto, sejam os de ordem econômica ou cunho mercadológico. Com isso, consegue-se estimar o retorno que será obtido, sejam eles negativos ou positivos, e o gestor tem a possibilidade de criar estratégias que contornem uma situação ruim para assim obter lucros maiores.

Muitas vezes analisar os parâmetros de saúde financeira e retorno de investimentos pelo fluxo de caixa ou balanço patrimonial da empresa, não são suficientes para se chegar a decisões claras e precisas sobre determinadas situações. Assim, é preciso utilizar os métodos corretos para que os gestores consigam escolher a melhor decisão a ser tomada.

Qual a importância de saber analisar os investimentos?

Fazer uma análise de investimento financeiro é fundamental para entrar em projetos seguros que não arrisquem o capital da sua empresa sem um breve retorno. Além disso, alguns dos objetivos da análise são:

  • Acompanhar a situação econômico-financeira

Através da análise financeira, o gestor consegue visualizar a situação financeira de sua empresa, identificando se o capital aplicado em um determinado projeto trouxe ou não um retorno esperado. Além disso, é possível visualizar se sua empresa está no momento ideal para realizar investimentos ou se deve esperar mais um pouco.

  • Tomar as decisões corretas

Um dos principais benefícios de fazer a análise de investimento no seu negócio é ter base para tomar decisões assertivas e que beneficiem a sua empresa. Um bom gestor toma decisões fundamentadas e embasadas em ferramentas, métodos e relatórios contábeis ou financeiros que mostrem quais os projetos mais rentáveis e vantajosos para a organização, de forma a torná-la mais lucrativa.

  • Ser atrativo para futuros acionistas

Se sua empresa está no mercado de ações e deseja atrair e gerar valor para os acionistas, então é preciso mostrar a capacidade de crescimento e de pagar bons dividendos da sua empresa. Um bom acionista vai analisar os resultados do seu negócio e decidir se é vantajoso ou não para sua carteira de investimentos. Portanto, ter um relatório com análises que visam o futuro do seu empreendimento e uma taxa de retorno maior que o valor investido é essencial para que sua empresa atraia sócios bons e engajados.

4 métodos para melhorar a análise de investimento do seu negócio

Antes de iniciar a falar sobre os métodos para realizar a análise de investimento, é importante que você compreenda as informações necessárias para realizar a análise que são: o fluxo de caixa e a taxa mínima de atratividade (TMA).

O fluxo de caixa é o instrumento de gestão financeira que projeta para períodos futuros todas as entradas e as saídas de recursos financeiros da sua empresa, mostrando como será o saldo de caixa para o período projetado.

Já a Taxa Mínima de Atratividade é o mínimo que o investimento deve retornar para ser considerado viável. Como não existe um valor único ou uma fórmula, alguns fatores devem ser analisados como, o custo de oportunidade, índice SELIC, risco do negócio e liquidez.

Entendido esses pontos, vamos conferir quais são os principais métodos para a Análise de Investimentos. Confira:

Payback

    O Payback é o método mais básico para avaliar a viabilidade de um investimento. Ele mensura o tempo necessário para obter o retorno do valor investido, ou seja, ele responde qual é o momento em que o empreendimento se paga.

    Seu cálculo é bastante simples: para encontrar o período de payback de um investimento, basta somar os valores dos rendimentos auferidos, período após período, até que a soma dos mesmos se iguale ao valor do investimento inicial.

    De forma mais objetiva, a seguinte fórmula pode ser aplicada:

    Payback = Investimento inicial / Ganho no período

    Sua ideia principal é que quanto mais tempo um investidor precisa esperar para recuperar o investimento, menos atrativo ele fica e maior é a possibilidade de prejuízo. Por ser um método de simples aplicação, é comum que muitos gestores o utilizem para decisões rápidas, porém é necessário considerar outros métodos de análise, já que o Payback em si analisa períodos mais curtos.

    Sua principal desvantagem é o fato de não considerar o custo de capital da empresa nem o valor do dinheiro no tempo. Por isso, ele utilizado sozinho não é tão confiável, tendo em vista as oscilações que o valor do capital investido por sofrer por motivos políticos ou econômicos.

    Valor Presente Líquido (VPL)

      O VPL é considerado uma técnica de análise de investimento mais sofisticada do que o Payback, já que ele considera no seu cálculo o valor do dinheiro no tempo e o custo de capital da empresa, fornecendo assim um cenário mais realista sobre o investimento. Além disso, ele pode ser aplicado a qualquer tipo de rendimento, tanto os convencionais quanto os não-convencionais.

      Na análise do VPL, tanto as entradas, como as saídas de capital (fluxo de caixa), dentro de um determinado período, são transportadas para valores atuais, podendo assim ser comparadas ao investimento inicial. Com isso, é usada uma taxa de desconto sobre os valores, chamada de taxa mínima de atratividade (TMA) que se refere ao retorno mínimo que um investimento deve ter para ser considerado atrativo, de forma a cobrir seu custo de oportunidade.

      Logo, quando o VPL foi:

      • Maior que zero: O investimento é viável, pois ele é capaz de remunerar e garantir o capital investido de forma satisfatória.
      • Igual a zero: O resultado é indiferente, pois prova que o investimento não representará nem lucro e nem prejuízo de capital.
      • Menor que zero: O investimento é inviável, pois seus rendimentos futuros não serão suficientes para entregar uma rentabilidade acima do custo de oportunidade.

      Uma das desvantagens desse método é que ele trabalha com termos absolutos (unidades) ao invés de termos relativos (taxas), impossibilitando assim que ele seja usado para comparar situações em escalas diferentes.

      Taxa Interna de Retorno (TIR)

        A TIR é outra forma de avaliar a taxa de retorno esperada pelo investimento feito. Esse índice é o que faz com que o valor das entradas se iguale ao das saídas. Com isso, ela complementa a análise de valor presente líquido e reflete os rendimentos reais proporcionados por um investimento em determinado período. Para utilizar esse método, é preciso ter conhecimentos tanto sobre fluxo de caixa quanto sobretaxa mínima de atratividade.

        Diferente do VPL, o resultado dessa análise é em unidade relativa, o que faz com que essa taxa seja mais utilizada por empresas para decidir entre fazer ou não o investimento, pois isso possibilita realizar uma comparação entre investimentos diferentes.

        Logo, quando a TIR for:

        Maior que zero: O projeto é viável

        Igual a zero: Projeto é indiferente

        Menor que zero: Projeto inviável, não irá gerar lucros a organização.

        A desvantagem dessa forma de análise é que ela considera que o valor do fluxo de caixa será reinvestido na própria TIR. Porém, isso raramente acontece, podendo assim gerar equívocos no resultado do investimento.

        Índice de Lucratividade (IL)

          O IL é bem simples e pode ser utilizado por qualquer empresa que deseje fazer análise de investimento, já que ele indica se ela está lucrando ou não com um projeto.

          O seu cálculo é feito pela relação entre o valor presente dos fluxos de entrada e saída do caixa. Ele pode ser aplicado somente para analisar um projeto ou para visualizar se um conjunto de projetos estão sendo rentáveis ou não para a organização.

          Logo, se o IL for:

          Maior que zero: O investimento é recomendado

          Menor que zero: O investimento não é recomendado.

          Conclusão

          Tomar a decisão de investir em algum projeto, é um passo muito importante para uma empresa. Por isso, é fundamental estar respaldado com as melhores ferramentas e métodos do mercado para avaliar se o seu investimento será ou não lucrativo para o seu negócio!

          Compartilhar artigo
          Quer mais novidades? Inscreva-se em nosso boletim para receber atualizações.
          Digite seu e-mail...