CONTEÚDO DE BLOG

Veja como calcular a Necessidade de Capital de Giro (NGC)

Conhecer sobre a necessidade de capital de giro é essencial para um negócio caminhar para o sucesso, sabia? Aqui, nós explicamos tudo o que você precisa saber sobre ela.

Você já ouviu falar de Necessidade de Capital de Giro? Sabia que este conhecimento pode ser o divisor de águas do seu negócio em um período tão incerto?

Empreender é uma atividade extremamente arriscada, a preocupação com concorrência e inovação muitas vezes resulta na gestão ser negligenciada frequentemente.

Um estudo do Sebrae afirma que a cada 100 empresas, cerca de 24 fecham em até 2 anos e isso se deve muitas vezes por uma má gestão de capital de giro.

Muitos empreendedores de negócios extremamente lucrativos vão à falência desconhecendo o seu verdadeiro motivo: um capital de giro abaixo de sua real necessidade.

Um cálculo racional da necessidade de capital de giro é imprescindível para a manutenção da saúde do caixa de sua empresa, possibilitando o cumprimento de todas as obrigações financeiras.

Pensando nisso, escrevemos um artigo para ajudar você a calcular de forma simples a Necessidade de Capital de Giro de sua empresa.

Faz sentido para você? Então vamos lá!

Veja também:

Tudo o que sua empresa precisa saber sobre a demonstração de fluxo de caixa

Índices de rentabilidade: Descubra se seu negócio está saudável

Afinal, o que é Capital de Giro?

Antes de falarmos de Necessidade de Capital de Giro, devemos antes explicar o que é capital de giro:

“Capital de giro se refere ao montante de recursos que uma empresa tem disponíveis para arcar com quaisquer despesas fixas ou variáveis, ainda que não tenha lucro ou receba recursos de outras fontes”

Resumindo, capital de giro é todo o valor que a empresa possui para custear suas ações do dia a dia.

Este capital de giro pode ser tanto positivo, quanto os recursos se apresentam maiores que as obrigações, como negativo, quando ocorre o fenômeno inverso.

O que é Necessidade de Capital de giro?

A depender do modelo de negócio de uma empresa, o fluxo de entradas e saídas pode variar fortemente.

Ramos como o alimentício, por exemplo, tem uma operação financeira muito dinâmica, onde há uma grande gama de fornecedores, taxas e outras despesas recorrentes, que tornam indispensável uma boa gestão desse capital.

Neste ponto entra a Necessidade de Capital de Giro, o NCG, ele mede o valor mínimo que uma empresa deve ter disponível para que cumpra todas as suas obrigações financeiras.

Por que a Necessidade de Capital de Giro é tão importante?

Imagine ter um negócio inovador, não ter concorrentes, preço atrativo no mercado, uma boa demanda de clientes, não parece ideal?

Porém, esta empresa embora seja muitas vezes até lucrativa não tem esses recursos disponíveis para pagar funcionários, fornecedores, impostos e aluguel, pois o pagamento de seus clientes era majoritariamente a prazo.

Esta empresa está a caminho de um processo de falência e foi enganada por uma visão comum a muitos gestores: a de que o lucro é o único indicador de sucesso de seu negócio!

Embora seja apenas uma ilustração, é algo que acontece em inúmeras empresas, que por falta de capacidade de liquidar suas obrigações se veem na necessidade de contrair empréstimos a juros abusivos.

Por isso é tão necessário ter esse cálculo da necessidade de capital de giro de uma empresa, assim podendo ter uma gestão financeira muito mais estratégica

Como Calcular a Necessidade de Capital de Giro?

Antes de calcular a Necessidade de capital de giro, se faz necessário elucidar alguns conceitos da contabilidade, indissociáveis ao assunto, como:

  • Ativo Circulante Operacional:

Ativo Circulante Operacional, são todas as contas que a empresa tem a receber de clientes e estoque, ou seja, todas as receitas efetivas e potenciais de uma empresa, como boletos a receber, saldo em conta do banco e pagamento de clientes.

  • Passivo Circulante Operacional:

Já o Passivo Circulante Operacional, é tudo aquilo que se relaciona diretamente com o funcionamento da empresa, como o pagamento de funcionários, fornecedores, taxas e impostos, boletos a pagar e empréstimos.

Tendo como Base esses conceitos vindos do Balanço Patrimonial, podemos calcular a Necessidade de Capital de Giro da Seguinte forma:

NCG = Ativo Circulante Operacional – Passivo Circulante Operacional

Podemos calcular também efetuar esse cálculo de forma muito mais simplificada.

Tomando como base o valor de contas que uma empresa tem a receber somado ao estoque menos o valor das contas que uma empresa tem a pagar.

Isso se dará da seguinte forma:

NCG = Valor de contas a Receber + Estoque – Valor de contas a Pagar

Para fluxos de pagamento mais complexos, deve-se considerar os prazos de pagamento também, portanto, há um terceiro modo de fazer esse cálculo.

Neste modelo a Necessidade de Fluxo de Caixa é igual ao prazo médio de recebimento menos o prazo médio de pagamento, da seguinte forma:

NCG = Prazo médio de Recebimento – Prazo médio de Pagamento

Para tanto, vamos elucidar também os conceitos para os prazos médios:

  • Prazo médio de recebimento:

É a medida de tempo entre o momento em que vocè efetua a venda de determinada mercadoria e o seu pagamento efetivo.

Como: em determinada empresa de consultoria vende-se projetos mensalmente, mas seu pagamento ocorre em média por 3 parcelas mensais.

  • Prazo médio de pagamento:

É a medida de tempo entre o momento em que você efetua a compra de uma determinada mercadoria e o seu pagamento efetivo.

Como: Em uma determinada madeireira, compra-se mensalmente certo tipo de madeira, mas seu pagamento é no prazo de 3 meses.

E para finalizar

Gostou do nosso conteúdo? Agora você tem uma ferramenta valiosa!

Você sabe que a NCG é o cálculo do valor de recursos que uma empresa necessita para exercer suas atividades.

Também aprendeu sobre o quão prejudicial pode ser uma empresa não o possuir e como calculá-lo de forma correta.

Ele possibilita que o gestor tenha uma tomada de decisões mais ágil podendo corrigir eventuais problemas em um tempo curto e gastando muito pouco!

Leia também5 motivos para fazer a análise financeira da sua empresa

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Aproveite a visita para
assinar a nossa newsletter.