CONTEÚDO DE BLOG

Abrir uma empresa: 7 segredos que você precisa saber para empreender

Você sabe como abrir uma empresa? Não? Neste conteúdo vamos explicar e te mostrar alguns segredos que ninguém te conta sobre o famoso empreender.
Por Esag

Sonho de muitos, preocupação de outros: empreender no Brasil, apesar de ser a promessa de um futuro mais próspero e a realização de um desejo de milhares de pessoas, é também um desafio, dada toda a burocracia que cerca a abertura de uma empresa.

É comum encontrar pessoas determinadas a abrirem seus próprios negócios, mas em dúvida em relação às etapas necessárias para conquistar a formalização da empresa. Por isso, elaboramos esse post com dicas valiosas para quem quer ter seu CNPJ e conquistar seus sonhos através da sua empresa, mantendo-a saudável e próspera. Acompanhe!

1. O que preciso saber antes de abrir meu negócio?

Para garantir que a iniciativa da empresa própria não seja frustrada, desperdiçando esforços e recursos, é necessário avaliar se existe um perfil empreendedor dentro de você. Portanto, aqui estão alguns pontos necessários para preparar o seu negócio:

  • identifique suas características pessoais que serão relevantes ao se tornar o dono de um negócio – querendo ou não, você se tornará um líder, mesmo que seja de si próprio;
  • escolha seus sócios após uma boa reflexão;
  • estude o mercado onde deseja se inserir;
  • desenvolva um plano de negócios;
  • estabeleça suas metas;
  • preveja os custos iniciais;
  • planeje uma reserva de capital e
  • escolha o regime de tributação mais apropriado para a sua empresa.

Além disso, há outros pontos nos quais os empresários devem ficar atentos, como por exemplo os erros dos concorrentes. Eles podem ser ótimos parâmetros para entender quais ações funcionam bem e quais atitudes não trarão resultados, evitando o desperdício de recursos e otimizando as abordagens a serem utilizadas. Um outro ponto extremamente importante é o conhecimento aprofundado do cliente: através do monitoramento da concorrência e do mercado, você pode direcionar os seus esforços em ações voltadas ao público-alvo com maiores chances de acertos e conversões.

2. Que tipo de empresa devo abrir?

Em um primeiro momento, essa é uma das decisões mais importantes. A fim de organizar sua estrutura como pessoa jurídica, é necessário declarar seu porte, que é definido pelo seu faturamento. Antes de abrir uma empresa, todavia, também é fundamental considerar o perfil do seu futuro cliente, incluindo informações sobre sua idade, região, hábitos de consumo, classe social e renda mensal; compreender como o seu negócio solucionará algum problema desse consumidor, agregando valor ao seu produto ou serviço; e também analisar o mercado, identificando as oportunidades e prevendo ameaças de forma a projetar sua inserção e crescimento.

I) Formato Jurídico: há quatro classificações mais comuns quanto à forma como a sua empresa será registrada:

  1. Empresário Individual: seu faturamento anual pode ser de até R$360 mil como ME (microempresa) ou a partir desse valor até R$4,8 milhões como EPP (Empresa de Pequeno Porte), no regime do Simples Nacional. No Lucro Presumido, seu faturamento pode chegar a R$78 milhões. A empresa pode ser aberta com qualquer valor de Capital Social; o empresário pode responder com seu patrimônio pessoal pelas dívidas contraídas por sua empresa e não há limite de contratação de funcionários.
  2. EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada): aqui, a responsabilidade do titular é limitada, não comprometendo seu patrimônio em caso de endividamento – ou seja, há separação jurídica entre os bens pessoais e os bens da empresa. O empresário consegue escolher o modelo de tributação mais adequado para o tamanho do seu negócio; por outro lado, o valor do capital social é considerado muito alto, correspondendo a cem vezes o salário mínimo atual.
  3. SLU (Sociedade Limitada Unipessoal): formato jurídico mais recente, é bastante semelhante à EIRELI, pode ser constituída por apenas uma pessoa e protege o patrimônio particular do sócio, mas não requer o capital de cem salários mínimos. O principal diferencial é a possibilidade de abertura de mais de uma empresa nesse formato, o que até então era apenas permitido às Sociedades Limitadas.
  4. Sociedade Limitada: diferente dos três primeiros, onde o empreendedor abre sua empresa sem sócios, na Sociedade Limitada é necessário pelo menos um sócio, porém não é exigido um capital mínimo. Esse formato permite que a empresa tenha um administrador que não pertença ao quadro de sócios. Os bens pessoais seguem protegidos em caso de falência.

II) Regime Tributário: para defini-lo, é necessário verificar se o negócio pode ser enquadrado no Simples Nacional, que é um modelo que unifica o pagamento de impostos em uma guia única, chamada de DAS (Declaração Anual do Simples Nacional), simplificando sua administração. Além disso, ele possui alíquotas menores variando de acordo com a atividade e o faturamento anual.

Já o Lucro Presumido é um formato de tributação por meio dos principais impostos federais, como o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Eles incidem sobre o lucro da empresa, que normalmente é maior do que 32% do faturamento bruto, e são pagos trimestralmente, tendo como base a receita deste período.

3. Que documentos preciso para abrir minha empresa?

Inicialmente, você precisará de um comprovante da propriedade, onde será a sede da empresa, além da cópia do último IPTU. Em relação aos sócios, os documentos exigidos são RG, CPF ou CNH, comprovante de residência, certidão de casamento (se aplicável) e recibo do último Imposto de Renda. Além disso, é necessário identificar o tipo de empresa e estimar seu faturamento para o primeiro ano de operação.

Para ter uma ideia do faturamento, é necessário projetar o investimento inicial do seu negócio. Para isso, você precisa entender que tipo de produto ou serviço pretende comercializar, quem é seu público-alvo, qual o capital disponível para investir, custos, despesas, taxas, etc. Isto é, conhecer da forma mais profunda possível o mercado onde irá se inserir.

4. Quanto custa e como faço para abrir uma empresa?

Essa resposta é variável, visto que depende do porte, do capital disponível, da região, etc. Todavia, algumas taxas são fixas, como o DARE (Documento de Arrecadação de Receitas Estaduais), o DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) , a Junta Comercial, o Certificado Digital e os valores considerados honorários da contabilidade.

Para colocar o seu CNPJ para funcionar, separamos alguns passos fundamentais na abertura de um negócio:

  • Encontre um contador de confiança: apesar de não ser um pré-requisito para começar uma empresa, é fortemente recomendado o auxílio de um contador em seu desenvolvimento, visto que todas as empresas devem ser acompanhadas e contabilizadas de forma adequada e profissional, evitando prejuízos e conflitos legais. Assim, eventualmente um serviço de contabilidade se fará necessário para a manutenção do negócio. Por que não começar já contando com esse auxílio, garantindo maior segurança e agilidade ao processo?
  • Elabore o Contrato Social: ele deve ser elaborado cuidadosamente e de forma detalhada, contendo a definição do tipo de empresa (nome, endereço, atividades realizadas, etc); a definição do CNAE (Classificação Nacional de Atividades econômicas, o que influencia na tributação da empresa); a descrição dos sócios e suas atribuições; a determinação do Capital Social (investimento inicial total).
  • Registre-se na Junta Comercial: para gerar seu CNPJ, o processo é encaminhado a ela após a assinatura e recebimento dos formulários assinados pelo empresário. O contrato, então, é registrado e em poucos dias o CNPJ é liberado.
  • Inscreva-se no município e também no estado, se for o caso: aqui, é realizado o cadastro na prefeitura do município onde a empresa se estabelecerá, recebendo a permissão de funcionamento. Essa etapa também pode ser chamada de Cadastro Mobiliário, Inscrição Municipal, Alvará, etc. Para além de questões mais teóricas, obtendo as licenças em órgãos de regulação (ambiental, sanitária), você também precisará pensar nas partes práticas, como a escolha do imóvel, autorizações para o uso do espaço físico, locação, reforma, entre outros.
  • Obtenha seu Certificado Digital: a fim de agilizar processos e poder emitir notas fiscais através de plataformas digitais, esse documento eletrônico contém informações como uma carteira de identidade, assegurando as transações e comprovando a veracidade das partes envolvidas.
  • Registre sua marca, caso a tenha. Através dessa ação, você obtém um diferencial que pode destacar o seu negócio, garantindo também sua proteção. Isso porque, ao fazer um bom trabalho, você está sujeito a imitações; através do registro, você se garante contra o uso indevido do seu trabalho ou material. Esse aspecto também é relevante no sentido publicitário, facilitando a captação de clientes e na identificação com o público-alvo.

Até agora, respondemos algumas perguntas fundamentais para quem quer ou está começando a empreender. A seguir, separamos algumas dicas finais que consideramos de extrema importância para o sucesso do seu negócio:

#01. Separe as finanças pessoais das finanças empresariais. 

Em empresas pequenas no início de seu estabelecimento, é comum que o empresário as integre, mas essa prática é desaconselhada independente do tamanho do negócio. Para que isso seja evitado, é necessário realizar um planejamento financeiro adequado, estipulando gastos, custos e despesas e mantendo um fluxo de caixa para controlar estes valores.

#02. Considere se você está pronto e disposto a abrir um empreendimento

Ao ponderar sobre os prós e contras, os desafios, frustrações e benefícios, pense de forma honesta se está preparado para estar em um ambiente de constante adaptação, estudo, análise, risco e esforço, a fim de aperfeiçoar o que oferece e desenvolver um produto ou serviço da melhor qualidade. Sabemos que empreender é um grande desafio, tanto financeiro quanto emocional, por isso essa decisão deve ser tomada com todo o cuidado, pois exigirá flexibilidade, constante atualização e muita resiliência por parte do empresário.

#03. Realize um Planejamento Estratégico. 

A fim de elencar todos os passos necessários para conquistar os objetivos aos quais irá se propor, o planejamento estratégico é um elemento fundamental para o estabelecimento e a trajetória a ser seguida para garantir o sucesso do seu negócio. Nele, devem constar o planejamento financeiro, elencando a situação da empresa e os objetivos quantificáveis, assim como a missão, valores, visão, público-alvo e demais variáveis e metas que, juntas, formam o objetivo final que sua empresa quer alcançar.

Desde a elaboração da ideia do negócio até sua colocação em prática, há diversos pontos a serem considerados, além do tempo e dos recursos financeiros a serem investidos na abertura do seu CNPJ e no funcionamento da sua empresa. Para garantir que nenhuma etapa foi deixada de fora, há diversos profissionais que podem contribuir nessa jornada, como contadores, consultores, analistas, publicitários, entre outros. A ESAG Jr. está aqui para ser seu ponto de apoio e ajudar a tirar seu sonho empreendedor do papel!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Aproveite a visita para
assinar a nossa newsletter.