Design Thinking

Precisando de Uma Nova Ideia? Experimente Essa Poderosa Ferramenta

Sua empresa precisa de uma nova ideia para se diferenciar no mercado? Você está em busca de uma ideia para empreender? Para casos como esses, onde seja necessária uma ideia, existe uma poderosa ferramenta, originária do Design Thinking, que promete decretar o fim das velhas ideias e criar novas de alto valor.

Provavelmente você já ouviu falar ou usou o Brainstorming, mas, comumente, as pessoas o utilizam sem nenhuma metodologia e, normalmente, as reuniões de Brainstorming acabam se tornando metódicas ou, em muitos casos, um verdadeiro vale-tudo entre a equipe. O que você aprenderá hoje é uma ferramenta de Brainstorming utilizada na IDEO, uma das maiores empresas de Design Thinking do mundo.brainstorming

Para que você compreenda facilmente, elaboramos 5 passos que te ajudarão a colocar a ferramenta em prática e, ao final, separamos lembretes importantes que você deverá se lembrar na hora de colocar a mão na massa:

1) Defina qual o objetivo da sua sessão de Brainstorming

Para isso, saiba qual o problema ou necessidade que você quer sanar e tenha claro em mente qual a saída esperada da reunião. Exemplos: criar uma solução para determinado problema na sua empresa, uma nova ideia para motivar seus funcionários, como alavancar as vendas, gerar uma nova ideia de negócio..

2) Recrute, em um mesmo lugar, um grupo de pessoas com formações multidisciplinares

Administradores, médicos, técnicos, atendentes, empreendedores, designers e quem você puder imaginar. Busque o máximo de abrangências profissionais que estiverem ao seu alcance, pois é de ambientes caóticos que surgem as melhores ideias.

3) Assim como no futebol, todos os outros jogos necessitam de regras

Crie suas próprias regras de Brainstorming, na IDEO, por exemplo, as regras são: “adie as críticas”, “incentive ideias malucas”, “mantenha-se concentrado no tópico” e “tome por base as ideias dos outros”. Crie as regras que você acredita que sejam mais adequadas ao alcance do seu objetivo e adequadas à equipe. Além disso, literalmente, dê um jeito de estampá-las na parede, para que todos possam vê-las constantemente.

Com os preparativos prontos, você pode iniciar a sua sessão. Ela possuirá duas fases: divergir e convergir.

4) Divergir

Divulgue o tema a todos e inicie pela fase de divergir (como exposto na imagem). Nessa fase, o que importa é criar muitas opções, não a qualidade das mesmas. Quanto mais melhor! Caso seu grupo esteja diminuindo o ritmo, dê criação, faça a eles questionamentos que aqueçam a discussão. Segundo Linus Pauling, vencedor de dois Prêmios Nobel: “Para ter uma boa ideia, você antes precisa ter muitas ideias”.

5) Convergir

É preciso filtrar as ideias. Discutam uma por uma rapidamente e eliminem aquelas que são, claramente, inviáveis. Em seguida, para auxiliar no processo de escolha, recomendamos utilizar a técnica “teste das borboletas”, inventada por Bill Moggridge, um dos pioneiros do Design no Vale do Silício. Para ela, é preciso uma boa quantidade de Post its ou algo que cumpra sua função. Deixe as ideias visíveis em alguma plataforma, determine uma quantidade de papéis coloridos que cada um dos participantes pode colar e peça que colem em suas ideias favoritas. Em pouco tempo, fica claro quais ideias atraíram o maior número de “borboletas”. Mantenha essas ideias escolhidas vivas e discutam sobre elas até chegarem à melhor solução.

A ferramenta é simples assim, todos que tiverem interesse podem usá-la, por fim alguns lembretes importantes para seu uso (sugiro que leia em voz alta):

Não se pode favorecer ideias com base em quem as gerou.

Para implementar novas ideias é necessário ser tolerante a riscos.

Ambientes otimistas facilitam o processo de ideação.