Planejamento

OKR: Como traçar um planejamento de metas efetivo

Pensando de uma forma prática, se você perguntar para algum membro da sua empresa quais os objetivos dela hoje, ele saberia responder? Seria algo fácil de se obter respostas? Se isso é uma dúvida ou te deixou inseguro, é importante que você reveja o planejamento estratégico da sua empresa!

Quando sei que preciso rever meu planejamento estratégico? 

  • Pouco alinhamento entre a empresa, diretores e as equipes;
  • Dificuldade de transmitir a cultura aos colaboradores;
  • Falta de foco do colaborador com suas atividades, visando maximizar os resultados da empresa;
  • Dificuldade do colaborador notar como sua contribuições impactam na empresa;
  • Pouco estímulo à produtividade a partir de metas desafiadoras

Visto isso, um dos principais desafios que muitos empresários enfrentam atualmente, refere-se a criação de boas metas, e principalmente, como alinhá-las com todos os membros da organização. 

Pensando nisso, esse artigo visa te mostrar como algumas das empresas mais conhecidas do mundo têm trabalhado com metas, através de uma metodologia muito simples e de fácil implementação: a OKR.

Mas afinal, o que é OKR?

Os Objectives and Key Results (OKR) são, como a própria tradução diz, os 

objetivos e resultados-chave de uma empresa. Nada mais é do que uma metodologia que auxilia o direcionamento e definição da estratégia de uma organização. 

O termo ganhou visibilidade no final do milênio passado, baseado a partir do livro High Output Management, de Andy Grove (ex-CEO da Intel), e depois, viralizou com o acionista do Google John Doerr, quando fez a proposta à organização.

Mas espera aí, você provavelmente deve estar se perguntando “o que um sistema de gestão de uma multinacional tem a ver com a minha empresa?”

Aqui entra um fato interessante: essa metodologia foi implementada antes mesmo do Google ser “Google”, naquela época, a empresa tinha cerca de 40 pessoas, e hoje, conta com mais de 60 mil colaboradores dispersos pelo mundo todo. 

Por isso,  ela vem conquistando cada dia mais empresas que buscam uma cultura de foco em resultado, baseando as ações através da gestão de indicadores e metas.

Mas e aí, quer entender como o Google e muitas outras empresas do Vale do Silício organizam suas metas? Então não deixe de conferir esse artigo!

Quais os benefícios da OKR?

  1. Identidade: ela faz parte da cultura da empresa

É basicamente a forma de comunicação de todos os colaboradores da empresa, e para que isso aconteça, há de ter o interesse no alcance de metas por todos os membros da organização.

É comum, nessa etapa, que algumas pessoas se apavorem e pensem coisas como “minha empresa não está preparada para isso”. Fique tranquilo, a OKR é um ótimo meio de fortalecer uma cultura dentro do ambiente organizacional.

Se quiser mais informações sobre esse tema, acesse nosso conteúdo sobre Como alinhar a cultura da sua empresa.

  • Priorização: define o que é ou não importante dentro da empresa

Ao ter a visão macro dos seus objetivos, fica muito mais acessível a questão de considerar o que é ou não necessário fazer; fomentando, por consequência, uma maior produtividade geral.

Outra consequência da prioridade de procedimentos é que faz com que o colaborador veja que as ações dele dentro da organização estão trazendo retorno

  • Adaptabilidade: tende a ser bottom up

Aqui entra um fator que diferencia a OKR das metodologias tradicionais- onde de forma rígida, os objetivos são desmembrados de cima para baixo, normalmente sendo guiados pelo planejamento de performance.

A OKR, por sua vez, é flexível, e os membros da organização são incentivados a definir suas metas (desde que estejam alinhados com o objetivo principal), e após, validá-las com a gerência.  

Por esse motivo, é dito que ela tende a ser bottom up (de baixo para cima), contrariando os modelos tradicionais, possibilitando maior autonomia nos processos.

  • Transparência: acessíveis a todos os colaboradores

Manter a cultura ativa não é só papel de uma liderança. Para a OKR ter efeito realmente eficaz dentro da empresa, é necessário que seja visível para qualquer pessoa, que todos entendam o caminho que a empresa está visando.

Por isso, todos as metas devem estar relacionadas verticalmente (entre lideranças e colaboradores), bem como horizontalmente (entre cada área, por exemplo)

  • Data Driven: processo eficaz de tomada de decisões

Com uma cultura de dados, todos as futuras tomadas de decisão tornam-se melhor embasadas, assim como permite um planejamento bem mais assertivo. Dessa forma, gera aprendizado para todos os membros, permitindo corrigir os objetivos  que não são alcançados e entender os motivos.

Como estruturar a OKR? 

Antes de pensar em entender como aplicá-la, é necessário conhecer a sua estrutura. Pensando nisso, vou trazer um exemplo, de modo a demonstrar o conceito de uma forma mais visível.


Objetivo 1: Aumentar o faturamento da empresa
KR 1: Aumentar o número de clientes em 10%
KR 2: Ter um ticket médio 40% maior

De uma forma prática, John Doerr definiu um método para definição de metas, sendo descrito por:

Eu vou ___________ (objetivos)

Medido por ___________ (resultados-chave)

Objetivos

Ao contrário do que muitos pensam, o objetivo deve ser qualitativo, ou seja, não segue nenhum método de mensuração. Os objetivos precisam pensar no macro, sendo portanto, aspiracionais. No exemplo citado, um dos objetivos é “Ser líder nacional de vendas”.

Mas como saber se as ações desenvolvidas na empresa estão contribuindo para o meu objetivo? 

Fácil! Através dos indicadores, ou melhor conceituando, os resultados-chave.

Resultados-chave 

Enquanto os objetivos têm por finalidade explorar o macro, os resultados-chave, por sua vez, consideram as micro etapas do processo. 

Eles são os principais indicadores do desenvolvimentos dos setores de uma organização, portanto,  têm de ser quantitativos. Normalmente existem de 2 a 5 para cada objetivo.

Boas Key-Results são S.M.A.R.T., a sigla significa:

  • Specific, específico
  • Measurable, mensurável
  • Achievable, atingível
  • Relevant,  relevante
  • Time-bound, com prazo definido

No caso acima, temos duas key-results:

  • Aumentar o número de clientes em 10%
  • Ter um ticket médio 40% maior

Um método eficaz de entender se esses indicadores são ideais é garantir, no final da elaboração, que todos os resultados-chave estejam alinhados. Como? Fazendo a pergunta para si: “Se todos as minhas metas forem atingidas, terei alcançado meu objetivo?” 

Algumas dicas na utilização da OKR

Lembre-se de que nada é fixo

Apesar de a metodologia ter diversas características, não há uma receita que possibilite a padronização dessa aplicação.

Portanto, não esqueça que antes de aplicá-la, é necessário que adapte ela para a sua realidade!

Não se apresse!

Como já falado anteriormente, a OKR está diretamente ligada a cultura da empresa, portanto, é de extrema importância que o processo seja gradual, você pode iniciar com uma área específica da empresa, por exemplo. É um jeito eficaz  de avaliar o sucesso da metodologia e acompanhar a adaptação dos colaboradores ao novo processo. Algum tempo depois, amplie o uso da OKR para as demais áreas.

Defina ciclos para revisões

O sucesso da metodologia OKR depende muito da definição de ciclos mais curtos para o cumprimento das metas. Em geral, as empresas definem o período de três meses para o desdobramento das metas individuais e de equipes.

Faça um acompanhamento regular

No decorrer da implantação das OKRs, é relevante que se faça alguns acompanhamentos de modo a notar as evoluções das metas; esse é um momento para verificar se há alguma dificuldade na sua aplicação e se há necessidade de alguma adaptação para prosseguir com o processo. Conforme o tempo (e a adaptação das pessoas, claro) esse acompanhamento pode acontecer em intervalos maiores. 

Comece de forma gradual: antes a empresa, depois as áreas

Antes de tudo, a primeira coisa a se fazer é destrinchar as OKRs da organização. Desse modo, começa-se planejando metas maiores (realizadas anualmente, por exemplo), onde se traçam os objetivos da empresa dentro desse determinado período. A partir deste objetivo anual, determina-se metas mais específicas, que deverão ser cumpridas sempre no horizonte de um trimestre.

Já determinei os objetivos da empresa, e agora?

Chegou a hora de migrar para as metas das áreas e equipes. Visto isso, é necessário que se tenha cautela, pois se trata de um processo gradual.

Não se recomenda, por exemplo,  estipular um número exorbitante de metas (principalmente por estar no começo e poder confundir alguns colaboradores). Considera-se como ideal poucas metas e da maneira mais simples possível, com a finalidade de todos acompanharem sua evolução, e também ter um maior entendimento da metodologia.

Ao alcançar metas mais acessíveis, aumenta-se a motivação por desafios maiores, e por consequência, a sua equipe se torna mais preparada para os ciclos futuros.

E na prática? Como dou o primeiro passo?

Ficou curioso para saber como funciona? Então baixe agora nossa planilha de objetivos e metas!

Objetivos, Metas e Indicadores para MPEs